Empatia é uma habilidade que pode ser treinada e desenvolvida 

A comunicadora Helda Elaina, palestrante e autora do livro “Ser Humano 10D”, fala sobre a importância da empatia nas relações pessoais e profissionais na era digital 

São Paulo (28 de janeiro 2019) – As relações de convivência social e de trabalho são enormemente afetadas pelo crescente uso da internet e das mídias sociais. As novas gerações tendem a gostar mais de ficar em frente às telas do que manter encontros presenciais. Mas será que isto dá certo?

Este comportamento está levando muita gente a não desenvolver ou até perder habilidades de comunicação, liderança e relacionamento. Por esta razão, a empatia é um assunto que está em alta e que ainda vai ser muito discutido em 2019.

A empatia é a capacidade que temos de nos identificar intelectual ou afetivamente com outras pessoas, colocando-nos no lugar delas, para desenvolver um relacionamento produtivo e saudável.

Ciente da importância da empatia para os resultados da vida pessoal e profissional, a comunicadora, escritora e palestrante Helda Elaine dedicou ao tema um capítulo inteiro de seu livro “O Ser Humano 10 D”, lançado em 2018 e que está próximo de se tornar bestseller.

No capítulo, Helda Elaine conta a história de empatia que levou seus pais a construírem um casamento de sucesso e uma família unida. Desde pequena, ela aprendeu que existem comportamentos e atitudes que nos tornam pessoas mais empáticas com parentes, amigos e colegas de profissão.

“Empatia é uma habilidade que podemos praticar, treinar e desenvolver. Ser empático é saber ouvir, observar e entender a forma como o outro vê e percebe o mundo. É entender a dor do outro e evitar preconceitos e julgamentos, pois todo mundo tem seus pontos fortes, que devem ser valorizados”, afirma Helda Elaine.

“Devemos aceitar a pessoa pelo que ela é, com toda a carga de fatos, sentimentos e emoções que compõem a sua história, e não pelo que gostaríamos que ela fosse”, acrescenta.

Empatia com clientes

Com as mudanças das regras de mercado e o aumento da concorrência, as empresas prezam hoje por excelência no relacionamento com o cliente, a fim de proporcionar algo a mais como diferencial. Neste sentido, a empatia é essencial para atender e fidelizar.

“Não basta ter o foco no cliente, mas fazer algo a mais por ele, ter o foco do cliente. Ou seja, saber se colocar no lugar dele, buscar ver com os olhos do cliente, na perspectiva dele e da maneira dele. Pensar e sentir como ele, para melhor atendê-lo”, ensina Helda.

A escritora acredita que a popularização do conceito de empatia fez com que todos repensassem a máxima “atender o cliente como você gostaria de ser atendido”, passando para a frase “atender o cliente como ele quer ser atendido”. “Empatia é tratar o outro como ele quer ser tratado, portanto, é preciso se interessar pelo outro, querer conhecê-lo bem”, explica a palestrante.

A empatia é o “algo a mais” que as pessoas têm e podem usar para construir uma nova realidade para si, promovendo a integração com outras pessoas e de equipes inteiras dentro das empresas.

Assessoria de Imprensa BRZ Content 
Leticia Maciel (12) 99675-2025

Leia Mais